Faltam materiais e água potável em unidade de saúde no bairro Maracanã

2016-02-18

A falta de materiais básicos tem comprometido o atendimento da população e o trabalho de profissionais na unidade básica de saúde do bairro Maracanã, em Santarém, no oeste do Pará. De acordo os usuários, faltam materiais como algodão e água potável para o atendimento de pacientes no consultório odontológico.

A unidade de saúde possui uma demanda de aproximadamente 50 pacientes por dia. É referência também para os bairros Maracanã I, Elcione Barbalho e Nova Vitória. Ao todo, são pelo menos 10 mil famílias. A unidade passou por serviços de reformas, mas ainda falta concluir a pintura e outros reparos na estrutura do prédio.

De acordo com a vice-presidente do bairro Maracanã, Elielza Batista, além da falta de materiais, a falta de água também prejudica a população. O único poço existente foi interditado há 15 dias. “Detectaram que estava infectada, não podia ser utilizada a água por estar com problemas. Só liberaram a água para a limpeza do prédio. Estamos esses dias sofrendo com essa problemática”, explica.

No local também funciona o Centro de Especialidades Odontológicas, que oferece serviços como diagnóstico bucal, com ênfase no diagnóstico e detecção do câncer de boca, extração, periodontia (tratamento de gengiva), endodontia (tratamento de canal), prótese total e parcial removível, atendimento aos portadores de necessidades especiais e cirurgia oral. Apenas pessoas em situação de emergência são atendidas.

A dona de casa Elcione Silva contou que esteve há uma semana no posto. Ela foi levar a filha para vacinar e quando chegou teve a surpresa, pois não tinha algodão para a realização do procedimento. “A vacina tinha, o que não tinha era o básico, que era o algodão. É vergonhoso para o nosso bairro. Muitas mães tiveram que voltar também. Graças a Deus que a vacina está tendo. Eu cheguei a doar um pacote, teve um pai também que doou o algodão, para os bebês não ficarem sem a vacina”, afirma.

Nota Semsa
A Secretaria de Saúde de Santarém (Semsa), informou em nota, que os estoques de curativos e materiais odontológicos deverão ser reabastecidos até o fim do mês de fevereiro. A Semsa diz ainda que a falta de alguns tipos de vacina é um problema que ocorre em todo o país. Já sobre a falta d'água, a Semsa informou que enviou uma equipe da Divisão de Vigilância em Saúde (Divisa) para solucionar o problema no posto. 

Conheça mais sobre a Serve Água

Somos uma empresa de distribuição de água potável através de nosso caminhão pipa e trabalhamos com as mais puras e seguras fontes de água, e por isso a cada nova entrega, além de fidelizar um cliente, conquistamos um amigo, aliás, mais que isso, um membro para a nossa família.

Garanta seu Abastecimento